Um começo atribulado

Viajando pela Agência Abreu, partimos de Lisboa às 00:40 de 12 de Abril de 2013.
O voo estava marcado na TAP, classe económica, mas o avião que nos destinaram era de uma outra companhia: a White Airways.
Um voo completamente lotado, num Airbus A310 com cadeiras em excesso. Apertados uns contra os outros, sem possibilidade de estender as pernas, sem posição para descansar…
Pouca atenção para com os passageiros, refeições de muito pouca qualidade.
Enfim um tormento de 6 horas sem dormir, durante a madrugada.

DICA: Verificar se o voo é mesmo TAP e avaliar a diferença de preço para a classe executiva, pelo menos nesta viagem noturna. Os preços variam com as datas e por vezes há surpresas agradáveis. A alternativa é a companhia de bandeira da República de São Tomé e Príncipe, a STP Airways.

Fotografia retirada do site da White Airways
Reparem no espaço entre as filas de cadeiras

6 comentários:

  1. Caro Amigo.
    Nos voos para S. Tomé, a TAP utiliza os aviões da Empresa White, por serem Airbus A310. Esta aeronave, que pertenceu à Tap, era já então utilizada nestes voos, por ser a que melhor se adapta a esta rota.
    Cumprimentos,
    FRED.

    ResponderEliminar
  2. Sim, efectivamente os voos para STP há muitos anos que não são em aviões TAP (imagem TAP) mas sim White by TAP, sendo a tripulação da companhia aérea portuguesa, bem como a manutenção. Os voos em aviões da TAP nem por isso tinham melhores condições do que estes...

    ResponderEliminar
  3. Já há alguns anos que o serviço prestado pela TAP, na rota Lisboa-São Tomé-Lisboa foi amplamente ultrapassado pelas outras companhia que também concorrem pelo mesmo distinto.
    A última vez que eu voei para São Tomé pela tap, foi em 2004, e desde tenho optado por outras companhias, desde da extinta Air Luxor, a STP AirWay. Em todas elas o serviço de bordo ficaram a milhas de distancia, pela positiva, da Tap.
    Da próxima que voar para o mesmo distinto ou semelhante, dê preferência à concorrência

    ResponderEliminar
  4. Muito obrigado pela sua opinião e conselho. Segui-lo-ei. Abraço

    ResponderEliminar
  5. Costumo usar o caso dos voos para São Tomé como um exemplo do desrespeito da TAP pelos seus clientes. No meu caso, não era um White mas sim um SATA, algo que constituiu uma surpresa. Quando comprei, directamente na TAP, esperava ter um TAP, mas logo recebi um mail a dizer que seria um White. E afinal, chegado ao aeroporto, estava lá um SATA. É tudo ao gosto de quem pode e manda.
    Não creio que exista concorrência à TAP para São Tomé, para além, claro, de voos charters, mas isso é outro negócio. O amigo Jorge na altura comprou um pacote na Abreu. Quando é assim não há escolhas. É aquilo e pronto.

    ResponderEliminar